segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011

Assimilação dos factos!!!

Como é obvio não se recebe esta notícia de ânimo leve. Nos dias seguintes tentei ser forte em público e com o discurso que ia correr tudo bem, mas em privado fartei-me de chorar, berrar e questionar a situação. Tinha de o fazer para não rebentar... mas em público mantive sempre a compostura.

Fartei-me de pesquisar na internet mais informação sobre este tema (na maioria sites ingleses e americanos) e que era sempre apresentado é que a única solução para este problema era mesmo a cirurgia. Por este motivo acabei (erradamente) por não consultar uma segunda opinião, até porque já tinha 5 médicos a dizer o mesmo. Mesmo assim devia ter apanhado um avião e ter ido a Londres, mas a questão é que não conheço nenhum médico de confiança por essas bandas.

Fui conversando com vários amigos (mais próximos) até porque me ajudava a assimilar a situação. No trabalho tive todo o cuidado de informar todos os detalhes do que me ia acontecer. Nesse aspecto tenho a dizer que a direcção foi impecável ao contrário da chefia directa que não teve noção da real dimensão do problema.

Não é fácil a mentalização de algo tão brutal, não é fácil assimilar que aos 33 anos nos aconteça uma coisa destas. Pensamos sempre que este tipo de situações podem acontecer quando se tem 50, 60 ou 70 anos nunca aos 33!

sexta-feira, 25 de fevereiro de 2011

Em estado de choque....

Na conversa com o médico (Dr. L de ora avante) ele esteve a analisar os meus exames e disse o mesmo que os restantes médicos... tinha de ir à faca para retirar todo o intestino grosso e fazer uma construção de uma bolsa para simular a parte final do intestino. Escusado será dizer em estado de choque e ainda sob efeito da sedação.

Logo ali se marcou a data a cirurgia (29/03) se como já tinha quase todos os exames feitos era apenas necessário fazer um exame para ver como estava o meu recto. (mais tarde vim a saber, da pior forma, que afinal faltavam umas quantas análises demasiado importantes para serem negligênciadas). Foi-me igualmente perguntado se queria ser operado no IPO em Lisboa ou no hospital privado supostamente de 5 estrelas. Como é óbvio escolhi o privado....

A forma como o Dr. L me apresentou a cirurgia era só facilidades e simplicidades. Tinha de fazer 2 cirurgias, uma primeira no dia 29/04 onde ficava com uma ileostomia durante aproximadamente 2 meses (tempo que demorava a cicatrizar a bolsa construída) e depois fazia uma segunda para remover a ileostomia. Só facilidades. (mais tarde vim a saber que à sempre problemas e comigo não seria diferente)

Foi logo marcada uma consulta com um outro especialista (o melhor do país) para fazer o estudo genético e saber se este problema tinha sido uma herança de família ou se era um caso isolado.

Segunda Colonoscopia

Obviamente depois do que aconteceu na primeira colonoscopia (onde acho que o médico foi negligente porque podia muito fácilmente ter-se esforçado e lavado o intestino) tive de fazer uma segunda, desta vez com um médico recomendado.

Desta vez foi-me recomendado o Klean-prep, uma coisa asquerosa e que sabe mal que se farta. O problema é que mais uma vez não teve qualquer efeito. Desta vez falei com o médico antes e ele recomendou clisteres... foram 3 e mesmo assim o intestino ficou mal preparado, mas foi possivel ir mais além (muito mais!).

O parecer médico foi mais ou menos o mesmo da primeira... uma polipose multipla. Nem eu sabia que tal coisa existia...

O médico que fez o exame encaminhou-me, na mesma hora, para um cirurgião (supostamente um dos melhores do país!) que curiosamente estava a dar consultas naquele momento... e eu ainda meio zonzo da sedação.

sexta-feira, 18 de fevereiro de 2011

Endoscopia e Colonoscopia (a primeira!)

Primeiro fiz os outros exames (os mais fáceis!) e os resultados deram que estava com anemia com alguma gravidade (ou seja estava a perder sangue por algum lado!) os restantes estavam sem qualquer problema.

Na véspera da endoscopia e da colonoscopia tive de fazer a habitual preparação. Num hospital privado da capital (para ser com sedação... não sabia mas ao que parece este tipo de exames com sedação só no privado!!) recomendaram-me o Citrafleet. Fácil de beber (visto que é pouca quantidade) e depois beber muitos liquídos. O problema é que não fez efeito.... ou melhor fez no dia depois da colonoscopia estar marcada.

No dia dos exames, cheguei em cima da hora já o sr. dr. estava com pressa no rabo para se ir embora... devia estar atrasado para algum jogo de golfe.


Devidamente avisado que a preparação não tinha corrido bem, resolveu proceder à realização do exame mas não por muito tempo. quando reparou que haviam fezes parou de imediato (pelo que percebi avançou 20cm). Nesse curto espaço fez logo o diagnóstico que me havia de perseguir... sendo a recomendação fazer nova colonoscopia....

Na endoscopia acusou alguns pólipos mas do que foram retirados para biopsia, nada a apontar... eram glândulas fundícas, supostamente inofensivos.