segunda-feira, 4 de abril de 2011

A reviravolta necessária

Já me tinham dito que em certas situações da vida se deveria viver um dia de cada vez. Estou a aprender isso da pior maneira, por minha conta e risco. Se ontem foi claramente um dia muito mau, hoje acordei com vontade que o dia de hoje fosse completamente diferente. Acreditei que fosse possível ser diferente. Pus a situação em perspectiva e analisei os problemas de ambas as partes. Como já muitas vezes tinha reparado noutras situações da vida, a falta de comunicação é preponderante para que a maioria das coisas da vida corram muito mal. A maioria das pessoas tende a prender-se ás suas próprias vivências e experiência esquecendo-se que a maior riqueza do mundo está na sua diversidade e que todos devem ter uma palavra a dizer. Hoje quando acordei disse que o dia era para ser ganho. E assim foi..... Mas tenho de sempre em atenção que ainda faltam muitos dias para o final desta batalha, uns vão ser perdidos mas o mais importante é que a próxima vitória seja já amanha, e assim sucessivamente até á grande vitória!
Hoje, de entre as várias boas notícias voltei a poder sentar-me!!!!!

domingo, 3 de abril de 2011

Revolta de quem não vê melhoras!!

Nos últimos 7 dias da minha vida não me tem corrido de vento em popa. Estou internado num hospital privado (supostamente 5 estrelas nem 2 parece ter). Os médicos que deveriam ser de primeira não passam de vendedores da banha da cobra do século XV. Sem escrúpulos e sem moral para defender as cretinisses depois da venda estar feita. Prometem curam miraculosas com técnicas do outro mundo (que realmente existem ao alcance de outros) mas que destes aprendizes de curandeiros são meros experimentalistas de terceira categoria que deveriam pagar pelos seus erros insanos que prejudicam a vida de muitos.

O choque da realidade...

Quanto mais perto estávamos das 48 horas após a cirurgia, mais ia tomando contacto com a realidade. Foi quando o Dr. L foi falar comigo sobre como tinha corrido a cirurgia... foi um choque! Foi quando soube que tinha uma discência (ruptura) na bolsa ileonal com cerca de 0,5 centímetros. Parece pequeno mas, segundo o Dr., era o suficiente para que o processo de recuperação demorasse perto de 1 ano!!!

Para mim isto era impensável... sem saber como nem porquê, tinha passado de um período de recuperação de 2 meses para 1 ano! Fiquei a saber que afinal que tinham ficado algumas análises por fazer antes da primeira cirurgia e que eram preponderantes para que tudo corresse bem... segundo o Dr. L estava com bom aspecto e não indicava qualquer carência a nível proteico. O que era completamente errado.... estava com os níveis de sais minerais e de proteínas (para não falar no ferro!) completamente em baixo, contribuindo de forma decisiva para que a bolsa tivesse problemas de cicatrização.

Foi um choque.... eu estava completamente mentalizado para 2 meses, nunca para 1 ano! Fartei-me de chorar, esta notícia arruína 1 ano inteiro da minha vida... todos os planos que tinha feito estavam irremediavelmente comprometidos...

Foi um momento extremamente complicado, tal forma que a médica de serviço apercebendo-se do meu estado, veio falar comigo para me acalmar.

Quase que conseguiu... a ideia de 1 ano ostomizado era verdadeiramente assustadora.

sábado, 2 de abril de 2011

Twilight zone

Estou novamente com uma bomba de morfina (durante 48 horas após a cirurgia). Mais uma vez estou completamente drogado, onde não tenho a completa percepção da realidade.. não sei o que disse nem o que me foi dito. A noção que tinha é que já tinha passado por aquela situação.... algures no tempo ou noutra vida.

A dose era de tal forma grande que nem sei o que me passou pela cabeça...

sexta-feira, 1 de abril de 2011

Regresso ao bloco operatório...

Nessa mesma manhã foi-me feito uma ecografia para ver a extensão dos estragos da noite anterior. Por decisão de ambos os médicos (Dr. L e o médico de prevenção da UCI) o regresso ao bloco operatório era a melhor opção.

Nessa mesma tarde fui novamente operado onde limparam todo o líquido ainda acumulado bem como verificaram o estado da bolsa ileonal.

Para mim nova cirurgia, nova epidoral... tudo de novo como à 3 dias atrás.

Por um fio....

No quarto os soluços continuaram e intensificaram-se, sem que ninguém me pudesse fazer fosse o que fosse para ajudar. Por outro lado o dreno que me foi colocado durante a cirurgia não estava funcionante.... estava entupido com coágulos de sangue. As enfermeiras ainda tentaram, por duas vezes, desentupir mas não conseguiram.

 Entretanto o desconforto era cada vez maior, não conseguia estar deitado nem sentado na cadeira... numa destas mudanças aconteceu o inevitável... o líquido que deveria sair pelo dreno começou a sair pela sutura da operação (costura). Se numa primeira vez os enfermeiros que acudiram disseram que podia acontecer sem grande preocupação, quando aconteceu na segunda vez com maior intensidade acompanhada por vómitos começaram a ficar preocupados. A tensão era tanta que uma enfermeira (a quem faço um agradecimento especial) que teve o discernimento de ligar ao Dr. L para que viesse o mais rápido possível porque havia complicações graves.

Quando o médico chegou (aproximadamente 20 minutos depois) vomitei um liquido verde (ácidos gástricos juntamente com bílis) falaram-me em aproximadamente 1litro. E colocaram-me de imediato uma sonda naso-gástrica (para terem noção é um tubo colocado no nariz que vai até ao estômago e que custa imenso a colocar) e que tem que se testar se ficou bem colocada (esta ao contrário da primeira estava realmente a drenar) libertando mais 1 litro de conteúdo gástrico.

Após me estabilizarem foi enviado de imediato para a UCI de forma a ter um acompanhamento mais próximo. Isto aconteceu eram 3 horas da manhã.

Como vim a saber mais tarde, os soluços era uma evidência de que algo não estava bem... e que significava que a pressão abdominal estava a aumentar devido ao entupimento do dreno e à falta da sonda naso-gástrica. Infelizmente apenas uma enfermeira percebeu isso mas quase tarde demais...