sexta-feira, 25 de novembro de 2011

Consulta com algo inesperado!!

Na quinta-feira seguinte a sair do hospital, era dia de consulta de acompanhamento... fiquei logo algo preocupado quando em vez de me mandarem entrar para a sala da consulta mandaram-me para a sala de tratamentos.... pensei que algo não estava bem! Deitei-me na marquesa e foi-me pedido para levantar a camisola e baixar uma pouco as calças. Pensei que até podia fazer sentido se o médico quisesse ver como estava o buraco, se bem que apenas uns dias antes tinha estado a olhar para ele e não havia problema nenhum!

Depois de me tirarem o penso e de limparem o buraco, o médico vira-se para a enfermeira e pede-lhe uma agulha e uma linha xpto e uma seringa com algo que vim a perceber mais tarde ser anestesia local. Mau pensei eu... que raio se vai passar aqui! Ao que lhe perguntei o que é que se estava a passar ao que ele me responde que no bloco quando me operou apenas havia linha de absorção rápida (utilizada para cirurgias estéticas) e que era necessário coser o interior do buraco para facilitar a cicatrização... Como é óbvio fiquei logo com o nervoso miudinho... como é possível um hospital não ter as linhas necessárias para uma cirurgia, e por causa disso ter de ser sujeito a mais este tormento???

O médico começou a dar pequenas picadas com a seringa da anestesia no rebordo da pele, mas no momento de cozer penso que de pouco ou nada serviu porque senti a agulha a entrar na carne tal como a linha a passar. Não sei se sem a anestesia teria sido pior mas senti bastante dor!

domingo, 20 de novembro de 2011

Saída do hospital directamente para a praia!

Depois de recomposto e de mais umas noites mal dormidas por causa da pressão para conseguir aguentar a comida no estômago, lá ficou tudo a funcionar em condições... ainda no início da dieta (líquida, mole, pastosa e normal) mas já estava estável o suficiente para ir para casa..ou para a praia como foi o caso! Tive de ir ver o mar! Para mim, ir ver o mar todos os dias, faz parte do processo de recuperação e tendo estado este tempo todo naquele quarto fez com que tivesse de ir respirar a brisa do mar e "limpar as vistas".

A esperança do pior já estar ultrapassado era mais que muita, mas sabia que ainda havia um caminho a percorrer. Mais que não seja porque tinha de me habituar a esta nova situação. Pela frente o tenho vários desafios....

Em primeiro tenho um buraco aberto na barriga, o médico considerou como a melhor opção (tendo em consideração o meu historial) deixar aberto o buraco por onde foi feita a cirurgia para evitar mais complicações. Ainda é um buraco considerável e que vai precisar de cuidados diários e vai demorar uns bons meses a cicatrizar.

Por outro lado tenho de conseguir aguentar as fezes, depois de tanto tempo sem funcionar em abundância (sempre ai passando alguma coisa mas nada de especial). É um desafio que vou ter de superar com o dia-a-dia e com os treinos do músculo... Sei que no início pode haver algum percalço, principalmente de noite quando se está mais relaxado.

E depois, pelo menos para já há outro desafio não menos importante, tenho de conseguir encontrar o equilíbrio na consistência das fezes. Não podem ser demasiado líquidas porque dificulta a retenção e por outro aumenta o risco de desidratação, por outro não podem estar demasiado duras porque podem causar danos na bolsa e eventualmente obstruir o intestino... ou seja tenho de fazer uma dieta muito apurada e beber perto de 2 litros de água por dia, ao mesmo tempo que vou experimentando alimentos diferentes e avaliar a reacção. E muito importante fazer caminhadas diárias para manter tudo a funcionar!

Vamos ver como corre mas esta batalha!

sexta-feira, 18 de novembro de 2011

As complicações habituais!

Como seria de esperar pelo presságio de estar naquele quarto algo tinha de correr mal! Passados dois dias depois de ter sido operado e de até então apenas ter bebido pequenas porções de água e algumas colheradas de uma sopa manhosa, o inevitável aconteceu... comecei a vomitar como um desalmado! Tinha de voltar a acontecer... mas porque carga de água sempre que sou operado tenho estas parésias intestinais???

Passei o resto do dia e da noite a vomitar... ainda tentei ocultar dos enfermeiros mas chegou à altura em que já não aguentava mais... tive de soar o alarme para me darem medicação. Mas como já suspeitava a simples medicação não foi suficiente pelo que tive de ser entubado (lá estava eu novamente com a tromba de elefante!!!)

Nos dias seguintes já sabia o que me esperava... parar completamente o intestino durante pelo menos 12 horas e depois começar e medicar com Eritromicina (um antibiótico pediátrico com bons resultados nestes casos), radiografias e as mal saborosas gastrografinas.... e uma estadia mais prolongada do que era desejável, ainda mais naquele quarto!

terça-feira, 15 de novembro de 2011

Um quarto muito particular!

Estava tudo a correr bem demais, era demasiado bom para ser verdade! Pelo caminho bem que me avisaram que só havia um quarto individual disponível (o que tendo em consideração o quarto que era não era de admirar que estivesse vago!). Já em Abril me tinham ameaçado ir para este quarto mas tiveram pena de mim, mas desta vez não havia mesmo volta a dar!

Nem quis acreditar quando entrei naquele quarto, o quarto do SLB!!! Era demasiado mau para ser verdade! Nas portas haviam fotografias de alguns jogadores, nas parece a lista de todos os títulos conquistados pela equipa de futebol juntamente com alguma velhas glorias juntamente com o simbolo do clube em proporções de clara falta de gosto, o resto era simplesmente vermelho e branco. Demasiado mau para ser verdade... estava montado o cenário para que nos próximos dias algo fosse correr mal!

O tão esperado encerramento...

Chegou finalmente o dia de encerramento da ileostomia... a felicidade era muita mas o receio de mais uma ida ao bloco não estava afastado! Sentia uma áurea positiva e estava toda a gente alegre...

Na hora de ida para o bloco veio aquele frio na barriga juntamente com muita ansiedade... é difícil de descrever!

Já à entrada para o bloco, quando estavam a ministrar o soro e a anestesia, lá veio o Dr L que meteu conversa comigo no sentido de me descontrair a afastar alguns fantasmas da minha cabeça. "Viste a onda de Nazaré? Daqui a uns tempos já podes ir para dentro de água novamente..." diz-me ele com um ar sorridente. Pouco depois apaguei...

Quando acordo estou uma sala (recobro) e a primeira reacção foi ir à procura do saco... "Boa, já cá não está!" penso eu... fui à procura de outros "acessórios" e nada! "Boa! Deve ter corrido mesmo bem... não tenho mais nada! pensei eu novamente.

Depois vem uma enfermeira pergunta-me como estava e se tinha dores... ao que lhe respondi que não tinha dores e que estava bem. Ao que ela me disse que já me vinham buscar para ir para o quarto!